Por quem vocês carregaram as pedras?



Um dia Jesus chegou nos discípulos e disse: “Carreguem uma pedra para mim.”. Ele não explicou nada, então os discípulos procuraram pedras para carregar; Pedro, que era muito prático, procurou a menor pedra que pudesse encontrar. Oxe, Jesus não tinha dito nada sobre tamanho e peso! Não valia a pena fazer esforço desnecessário. Assim, Pedro colocou sua minúscula pedra no bolso. Então Jesus disse: “Sigam-me os bons.” E eles o seguiram pela estrada. 

Meio dia, a fome começou a apertar, então Jesus pediu que todos se sentassem. Transformou todas as pedras que os discípulos carregavam em pão e disse: “Vamos comer.”. Em apenas duas mordidas, o pão de Pedro acabou, mas o ronco do estômago continuou. 

Depois do rango, Jesus pediu que todos levantassem. E disse denovo: “Carreguem uma pedra para mim.”. Pedro, super esperto, pensou: “Ahá! Agora eu entendi!” olhou em volta e procurou a maior pedra que pudesse encontrar. Suspendeu a pedra, tão pesada que ele mal conseguia andar. Mas pensou: “Mal posso esperar pelo jantar.” Então Jesus disse: “Sigam-me.” E eles seguiram, Pedro ficando um pouco para trás.

Na hora da janta, Jesus levou todos eles para a margem de um rio e disse: “Agora, quero que todos joguem as pedras na água.” E todos jogaram as suas pedra no rio. Depois disse novamente a eles: “sigam-me”, e começou a andar. Pedro e os outros olharam para ele, sem entender bem. Jesus suspirou e disse: “Não se lembram do que eu pedi que fizessem? Por quem vocês carregaram as pedras?.


A história de “Pedro e a Pedra” foi tirada do livro ” O Deus pródigo” de Timothy Keller, publicado pela Thomas Nelson Brasil; que por sua vez cita Elisabeth Elliot em “These strange ashes”. Mas eu dei uma adaptada, rs.


Seguimos a Cristo por quem ele é ou pelo que Ele pode fazer por nós? Temos sido impulsionados a servi-lo por amor ou por medo? Para ser mais parecidos com Ele ou para ter as suas bençãos? Vamos refletir um pouco sobre esse assunto? Assista a essa mensagem do Tim Keller, e entenda o verdadeiro sentido do Evangelho através de uma nova perspectiva da Parábola do Filho Perdido.

Tainah Cerqueira

Nascida em 1993. Cristã. Cacheada. Natural de Salvador - BA. Cheia de sonhos na caixola. Apaixonada pela vida e qualquer tipo de arte. Vivendo nEle, por Ele e para Ele.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.
- comentários com palavrões ou ofensas não serão aceitos;
- as criticas construtivas são sempre bem vindas;
- caso queira deixar o link para seu blog, fique a vontade.

Instagram