Também é evangelismo #SérieProntidão

Este é um #PostAmigo da Série sobre Prontidão Para a Pregação do Evangelho que começou na semana passada: veja o último post. Ele foi escrito por Rafael Reis, parceiro do Alfa e Ômega. Nós agradecemos a participação de Rafa, tenham certeza de que verão muitos posts dele por aqui, por que nós amamos os nossos amigos e exploramos eles, rs.


Existe muita gente a fim de conversar por aí, o problema é que não sabemos iniciar e desenvolver essa conversa.

Evangelismo precisa ser um termo mais dinâmico na cabeça dos cristãos. Normalmente é um ato ou evento chato, mecânico, desinteressante e enfadonho que tem a ver com a entrega de folhetos e a pronúncia de umas frases clichês.

Não estou aqui para dizer que esse tipo de ação não pode ser usado pelo Espírito Santo para convencer alguém do pecado e do juízo, mas que é necessário esforço para tornar o evangelismo mais relacionável para a Glória de Deus.

Vamos pensar em Jesus. Ele conversava com as pessoas sobre o Reino. Sua comunicação se baseava em perguntas, respostas e reflexões, havia troca na relação. A conversa no poço com a Samaritana, dentro da casa de Zaqueu e aquelas que aconteceram no meio da rua.

Um amigo recentemente me disse “a cada dia de evangelismo eu entendo que preciso ouvir mais as pessoas”. Essa afirmação é bastante interessante, pois se quisermos um evangelismo eficaz, precisamos mostrar como Jesus pode saciar a sede daquela pessoa. Obviamente a noção de pecado e a salvação única em Cristo são pontos comuns que necessitam estar presentes em todos os momentos de evangelismo, pois todas as pessoas precisam conhecer essa verdade, mas nem sempre o meio utilizado para chegar nessas afirmações será o mesmo. Por isso é necessário conhecer quem você está comunicando para desenvolver a mensagem de forma mais relevante.

Mas se eu somente me encontrar com aquela pessoa naquele momento e nunca mais vê-la na vida, não seria importante eu dizer tudo de relevante no evangelho de uma vez? Os estadunidenses amantes da estatística calcularam que em média uma pessoa ouve 10 vezes sobre o evangelho antes de decidir seguir a Cristo. Em muitas das ocasiões você não verá a conversão, mas servirá de guia na trajetória espiritual daquela pessoa. Portanto seja relevante pra ela naquele momento. Ela deu espaço? Seja uma visita agradável. Ela precisa desabafar problemas? Ouça. Ela pediu um conselho? Dê. Permita que seja uma troca, que o evangelho se traduz em ações naquele momento. Existe uma garantia muito maior que dessa forma ela se importará mais com as palavras do evangelista quando ele anunciar o evangelho.

As pessoas não têm com quem conversar. Mesmo vivendo no século da comunicação, o bom e velho bate papo presencial, que nunca será substituído, não é bem praticado. Então numa oportunidade sincera de trocar experiências, é comum que a maioria das pessoas se abra, mesmo para um desconhecido, pois provavelmente elas não têm com quem conversar ou não podem falar de suas dúvidas e angústias com seus amigos.

Às vezes escutar demais incomoda, parece que estamos perdendo tempo, mas esse pode ser o grande trunfo no evangelismo. Não posso dizer que não existem exceções. Algumas conversas não vão para lugar nenhum, então é necessário que você as encaminhe para um fim. Ouvir bem as pessoas te dá a oportunidade de falar o que exatamente elas precisam ouvir.


Já tive longas conversas que fugiram das fórmulas de evangelismo em praças, na cantina da universidade, na porta de casa, ao lado de um estádio, próximo a um ponto turístico e numa esquina de rua no meio do Carnaval. Cada uma delas foi única, impossível de reproduzir, porém todas apontavam para Cristo. Seja sensível e não tenha medo de sempre ter algo pronto para dizer. Escute, ouça e então fale principalmente da sua experiência em andar com Cristo e sobre todas as razões que reafirmam essa decisão todos os dias. Todo mundo sabe falar sobre isso. Também é evangelismo.

Rafael Reis #PostAmigo

Confira o post anterior da série sobre Prontidão Para a Pregação do Evangelho que começou na semana passada: clique aqui.

Tainah Cerqueira

Nascida em 1993. Cristã. Cacheada. Natural de Salvador - BA. Cheia de sonhos na caixola. Apaixonada pela vida e qualquer tipo de arte. Vivendo nEle, por Ele e para Ele.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.
- comentários com palavrões ou ofensas não serão aceitos;
- as criticas construtivas são sempre bem vindas;
- caso queira deixar o link para seu blog, fique a vontade.

Instagram