O TOQUE DE DEUS

OI AMADOS VOU POSTAR O ESTUDO Q FIZEMOS ONTEM, E FOI UMA GRANDE BENÇÃO PARA NÓS.

(CURIOSIDADES: O PASTOR DE QUEM PEGAMOS ESTE ESTUDO FOI O GRANDE ESCRITOR DE A CRUZ E O PUNHAL-  David Wilkerson E POR VONTADE DE DEUS ELA FOI CHAMADO PARA GLÓRIA NO DIA 27/04(QUARTA-FEIRA).



O Toque de Deus - Daniel
Por David Wilkerson


Daniel testifica: "Eis que certa mão me tocou, sacudiu-me e me pôs sobre os meus joelhos e as palmas das minhas mãos" (Daniel 10:10). A palavra para "tocou" aqui quer dizer agarrou violentamente. Daniel estava dizendo: "Quando Deus pôs as mãos sobre mim, dobrou-me sobre minha face. O seu toque me deu urgência para buscá-lo com todo o meu ser".
Isso acontece toda vez que Deus toca a vida de alguém. Essa pessoa cai de joelhos. E se torna um homem ou mulher de oração, levado a buscar o Senhor.
Tenho muitas vezes me perguntado por que Deus toca apenas algumas pessoas com essa urgência. Por que alguns servos ficam famintos em buscá-lo, enquanto outras fiéis pessoas prosseguem nos seus caminhos? Os servos tocados por Deus têm uma relação íntima com o Senhor. Eles recebem revelações do céu. E desfrutam de um caminhar com Cristo do qual poucos desfrutam.
Penso em Daniel. Esse devoto servo foi tocado por Deus de modo sobrenatural. Ora, havia muitas outras pessoas boas e piedosas servindo ao Senhor nos dias de Daniel. Incluem-se Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, assim como Baruque, um escriba de Jerusalém. Inúmeros outros israelitas mantinham igualmente sua fé, enquanto escravizados na Babilônia. Cerca de 40.000 deles iriam retornar a Jerusalém para reedificar o templo.
Então, por que Deus impôs suas mãos sobre Daniel e o tocou da maneira que o fez? Por que apenas esse homem se tornou capaz de ver e ouvir coisas que ninguém mais conseguia? Ele declara: "Só eu, Daniel, tive aquela visão; os homens que estavam comigo nada viram" (Daniel 10:7).
Eis a incrível visão que Daniel teve: "No dia vinte e quatro do primeiro mês, estando eu à borda do grande rio... levantei os olhos e olhei, e eis um homem vestido de linho, cujos ombros estavam cingidos de ouro puro... o seu corpo era como o berilo, o seu rosto, como um relâmpago, os seus olhos, como tochas de fogo, os seus braços e os seus pés brilhavam como bronze polido" (10:4-6).
Era uma visão do próprio Cristo, clara e vívida. Em verdade, foi a mesma visão dada a João na Ilha de Patmos (v. Apocalipse 1:13-15). Agora Deus fala a Daniel de modo inconfundível, "e a voz das suas palavras era como o estrondo de muita gente" (10:6); não foi um pio ou um cochicho, mas o trovejante ressoar de um ruidoso tumulto.
O Senhor se revelou a Daniel dessa maneira por uma razão específica: ele queria cessar a longa fome pela sua palavra; decidiu que havia chegado a hora de entregar uma mensagem à humanidade perdida. E queria que os seus servos soubessem o quê ele estava prestes a fazer, e por que: "Fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos últimos dias" (10:14).
Mas Deus precisava de uma voz para declarar a sua mensagem. Ele queria um homem de oração, um servo que responderia fielmente ao seu chamado. Daniel era esse homem. Ele havia estado orando com devoção três vezes ao dia. E agora, enquanto andava ao longo do rio, Cristo se revela a ele. Daniel ficou abalado pela experiência. Ele diz: "Caiu sobre eles um grande temor, e fugiram e se esconderam. Fiquei, pois, eu só e contemplei esta grande visão, e não restou força em mim... Contudo, ouvi a voz das suas palavras" (10:7-9).
As escrituras não identificam os homens que estavam com Daniel. Poderiam ser guardas babilônicos, ou funcionários do governo; afinal de contas, Daniel ocupava um alto posto no reino. Em minha opinião, estes homens eram israelitas, especificamente amigos e companheiros piedosos de Daniel. Então, se é assim, por que fugiram? Daniel diz que eles nem viram e nem ouviram nada. Por que foram obrigados a se esconder?
Eis o porquê: Deus estava no processo de possuir Daniel; estava preparando o seu servo, corpo e alma, para receber uma palavra dos céus. E isso é sempre uma visão impressionante. Toda vez que Deus toca um dos seus servos - homens de oração - ele se manifesta nesse vaso humano. Primeiro ele o esvazia de todo o seu eu, e aí o possui totalmente.
A visão desse processo pode infundir medo em cristãos limitados à carne: ou faz com que os seus pecados ocultos se derretam, ou os incita a fugirem da cena. Lembro-me de uma ação divina desse tipo em minha própria vida, vários anos atrás, antes que o nosso ministério se mudasse para Nova York. A minha esposa, Gwen, e eu estávamos sentados em nosso quintal no Texas com outros casais cristãos. De repente, o Espírito de Deus me dominou, e eu caí sobre a minha face.
O Senhor começou a falar ao meu coração sobre as almas perdidas. Logo eu estava chorando e profetizando. Sentia-me como se estivesse na presença do próprio Deus, retirado desse mundo. O seu Espírito movia-se sobre mim, me chamando, dando-me visão para o ministério. Eu não sei quanto tempo estive naquele estado. O que eu sei é que, durante aquele tempo as nossas visitas se desculparam e saíram. Algo na cena os afugentara.
Sempre me pergunto: esse toque sobrenatural de Deus seria simplesmente uma questão de predestinação? Os que recebem o seu toque seriam pessoas escolhidas e selecionadas para tal ainda antes de nascerem? Seriam elas simplesmente destinadas à oração, à posse pelo Espírito Santo, à recepção de palavras vindas do trono de Deus?
Faço essas perguntas devido a uma inexplicável fome existente em minha alma, fome dada por Deus. O meu homem interior anseia por uma revelação de Cristo. Alguma coisa em mim simplesmente não se aquietará com revelação vinda de qualquer outra pessoa. Por que? Estou convencido de que Deus tem uma palavra particular que deseja transmitir a essa geração. E agora mesmo, está procurando na terra servos que possa possuir. Ele quer homens e mulheres que servirão como seus oráculos para um mundo perdido. Só a sua poderosa e ungida palavra pode combater o crescente espírito do islamismo. E somente a sua verdade pode dar um golpe mortal na hipocrisia em sua própria igreja.
Como o mundo mudou rápido. Após a queda das Torres Gêmeas em Nova York, a freqüência à igreja cresceu repentinamente. As pessoas voltaram em bando à igreja pela primeira vez em anos. De súbito, Deus se tornou popular outra vez. A menção do seu nome marcava todos os eventos esportivos, sessões do governo ou reuniões cívicas. Parecia que a nação inteira estava dizendo preces e falando de Deus.
Hoje, contudo, a freqüência à igreja está mais baixa do que antes da tragédia de 11 de setembro. Uma pesquisa nacional recente cita frases das pessoas dizendo: "A igreja foi uma experiência tão desagradável que não voltei mais". "Não acontecia nada lá. Não valia a pena gastar o meu tempo". "Nada lá dentro me deu vontade de voltar".
Como pode ser isso? Isso acontece porque a igreja perdeu sua autoridade espiritual. A maioria dos sermões que essas pessoas ouviram eram mortos, sem vida. Eles revelaram a igreja em seu estado atual: fraca e desprovida do real caráter de Deus. Agora as pessoas se tornaram surdas ao evangelho. Os jovens especialmente estão rejeitando a igreja, dizendo que ela é irrelevante. Eles não querem ter nada a ver com uma instituição que é motivo de riso aos olhos do mundo.
Mas Deus está prestes a mudar tudo isso; agora mesmo está levantando homens e mulheres tocados por Deus, e possuídos pelo Espírito. Ele está colocando esses servos no fogo com sua verdade. E o seu toque em suas vidas fará com que o mundo note isso.
Uma palavra pura está preste a descer dos céus mais uma vez. Ela irá expor a hipocrisia e as mentiras demoníacas. O islamismo será revelado como possuindo origens satânicas. E tudo aquilo proveniente da carne - o egoísmo, o materialismo, a lascívia - será trazido à flamejante luz da palavra de Deus. Verdade convincente será pregada dos lábios da nova geração de Deus - gente que busca, pessoas que comprometeram seus corações inteiramente com Cristo.

1. Deus Fez de Daniel um Oráculo Seu
Porque Este Jamais Abandonou a Oração

O Senhor toca todo servo que é fiel na oração. Ele busca os que estão dispostos a se disciplinarem a fim de ouvir a sua voz. A Bíblia chama essa atitude de "dispor o coração". Daniel diz: "Voltei o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza" (Daniel 9:3).
Daniel então nos diz: "Falava eu ainda, e orava, e confessava o meu pecado e o pecado do meu povo Israel, e lançava a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus... o homem Gabriel, que eu tinha presenciado na minha visão ao princípio, veio rapidamente, voando, e me tocou à hora do sacrifício da tarde" (9:20, 21). Resumindo, Daniel está dizendo: "Deus tocou-me ao buscá-lo em fervente oração".
Daniel deixa claro: ele não conseguiu compreensão da palavra de Deus estudando junto aos eruditos. Não ganhou conhecimento quanto aos futuros acontecimentos a partir das instituições babilônicas. Ninguém poderia lhe ensinar como interpretar sonhos que haviam sido dados de modo sobrenatural. Daniel declara: "Falava ainda na oração... Ele... falou comigo, e disse: Daniel, agora saí para fazer-te entender o sentido" (9:21-22).
Simplificando, as orações de Daniel trouxeram palavras vindas do trono de Deus: "Então me disse: Não temais, Daniel, porque desde o primeiro dia, em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e por causa das tuas palavras é que eu vim... Agora vim para fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos últimos dias" (10:12, 14).
Que tipo de prece Daniel havia feito para despertar tal visitação? As escrituras nos dizem que ele havia passado três semanas em total quebrantamento: "Naqueles dias eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me untei com óleo algum, até que passaram as três semanas inteiras" (10:2-3).
Daniel havia passado vinte e um dias se humilhando, chorando ajoelhado, corrigindo sua carne, dispondo o coração para receber compreensão divina. Ele não media suas sessões de oração pelo relógio. Ele estava fazendo uma declaração de guerra: "Senhor, não deixarei tua presença enquanto eu não discernir o quê estás fazendo. Não importa o preço que eu tenha de pagar".
Agora mesmo, o povo de Deus está precisando receber uma palavra dos céus como nunca antes. Jamais na história tantas e tantas multidões ficaram tão enjoadas e aborrecidas com sermões mortos e áridos. As pessoas piedosas estão literalmente chorando para terem uma palavra convincente, transformadora de vidas. Mas a maioria dos púlpitos está ocupada por homens sem autoridade espiritual. São pastores que não oram e estão perdidos pelos tempos, incapazes de trazer entendimento e esperanças a congregações amedrontadas.
Uma outra coisa aconteceu com Daniel enquanto ele orava. Ele foi levado ao fim de suas habilidades enquanto humanas. O Senhor agora tocava os lábios de Daniel para que ele pudesse falar como seu oráculo. Ele diz ao seu servo: "Santifiquei a tua língua. Agora vou falar através de ti".
Qualquer pessoa que fale por Deus precisa ter sua língua limpa e purificada. A Bíblia nos traz exemplo atrás de exemplo:
. Jeremias diz: "Estendeu o Senhor a mão, tocou-me na boca, e me disse: Eis que ponho na tua boca as minhas palavras. Olha que hoje te constituo sobre as nações...para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares, e também para edificares e para plantares" (Jer. 1:9-10).
. Isaías diz: "Então disse eu: Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! Então um dos serafins voou para mim trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado o teu pecado" (Is. 6:5-7).
. Daniel testifica: "E eis que uma como semelhança dos filhos dos homens me tocou os lábios; então passei a falar... Então me tornou a tocar aquele semelhante a um homem, e me fortaleceu" (Daniel 10: 16-18).
As experiências destes homens são exemplos para todos nós: Deus está procurando pessoas que queiram gastar o seu tempo para se trancarem com ele, que o buscarão regularmente e esperarão na sua presença. Como dedicados atletas olímpicos, esses servos passarão horas em sua disciplina, durante semanas e meses direto.
Pode-se dizer: "Não posso ficar horas orando. Tenho obrigações como todos". Quero dizer que Daniel era um homem muito ocupado. Como proeminente funcionário do governo, tinha incríveis questões em suas mãos. Mesmo assim Daniel dispôs seu coração para buscar a Deus. E produziu em seu melhor horário, todos os dias - três vezes por dia, na verdade - tempo para orar. Deus lhe respondeu com uma visão impressionante: "Eu, Daniel, enfraqueci, e estive enfermo alguns dias; então me levantei e tratei dos negócios do rei. Espantava-me com a visão, e não havia quem a entendesse" (Daniel 8:27). Mesmo doente, ou durante seus negócios diários, Daniel buscava ao Senhor.
Deus está procurando pelo mesmo tipo de desespero entre seus pastores atualmente. Está buscando pastores que estejam cansados de meramente pregar sermões, que estejam lutando por uma mensagem nova, pastores que agora estejam tendo pouco impacto sobre as pessoas. Ele quer pregadores que prefeririam morrer e estar com Jesus, a prosseguir na sequidão. São ministros famintos que gritam: "Ó Deus, ponha o teu fogo em minha alma. Quebre-me, derreta o meu coração, revolucione a minha vida. Não posso continuar nessa rotina. Preciso do teu toque. Quero servir como um oráculo para Ti, falar ao teu povo". Aquele cujo coração tem esse tipo de grito vindo do coração - e dirigido a Deus - é o servo a quem o Senhor toca.


2. Daniel Sofre Pelo Declínio Espiritual da Sociedade e da Igreja
Há muitas pessoas piedosas atualmente que ficam horas em intercessão. São abençoados servos que andam pela fé com grande convicção. Contudo muitos deles não sofrem pelos pecados do nosso país, ou pela mortandade na casa de Deus. Eu não estou sugerindo que os cristãos devam ser pessoas aparvalhadas e preocupadas. Mas existe uma atitude no coração até mesmo no crente mais alegre, que o leva à dor diante da mornidão da igreja, e do declínio moral da nação.
Vemos isso na vida de Daniel. Daniel era uma pessoa, em sua sociedade, que sofria dores junto com o coração de Deus. Na ocasião, ele estava recebendo visões no meio da noite. Foi milagrosamente salvo da cova dos leões. O Senhor estava abençoando e prosperando tremendamente este homem. Porém, o tempo todo, Daniel nunca tirou da cabeça as coisas dolorosas que Deus estava lhe mostrando sobre Israel: "Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi alarmado dentro em mim, e as visões da minha cabeça me perturbaram" (Daniel 7:15).
Cá estava um homem que ia dormir tendo o Senhor em mente. Os pensamentos dele não ficavam transbordando de idéias de negócios, ou imagens sexuais. Daniel buscava o Senhor continuamente, fazendo súplicas. E agora os céus estavam abertos a ele, com visões do futuro. Daniel estava se movendo dentro de uma espantosa e profética dimensão, porque havia escolhido sofrer as dores com Deus.
Agora Deus revela a Daniel o seu plano. O Senhor está prestes a arrancar tudo que é mal e jogar fora. Irá esmagar as nações más e as destruir. O dia do juízo está próximo, e o tempo acabando. O Rei está chegando, e logo os livros serão abertos. No entanto, surpreendentemente, o povo de Deus estava em sono profundo, desligado de tudo.
Então Daniel se enluta devido à morte espiritual e à depravação na casa de Deus. Testifica: "Essas palavras divinas, essas visões do futuro, me abalaram. Elas agitaram a minha alma, e me levaram ao choro e ao sofrimento" (v. Daniel 9).
Vejo uma cena parecida na casa de Deus hoje. Ministros e igrejas têm fechado os ouvidos aos alertas proféticos. Recusam-se a ouvir ou a falar tudo que seja negativo. Em sua cabeça, está na hora de apenas se gozar a vida. No entanto muitas destas mesmas pessoas no passado experimentaram milagres. Pela oração trouxeram ao reino os seus queridos que haviam se perdido; choraram diante da ruína moral da sociedade, e ansiosamente aguardavam a volta de Cristo. Mas agora têm a sua própria programação. Não vão gastar uma gota de energia chorando com Deus sobre uma nação à morte, ou uma igreja morna. Como está nas escrituras: "Mas não vos afligis com a ruína de José" (Amós 6:6).

3. Deus Revela a Sua Palavra
Àqueles Que Se Recusam a Ocultar ou Abrigar o Pecado
Daniel recebeu o toque de Deus porque estava querendo sofrer com o Senhor. Ele ora: "Senhor, o que está acontecendo? Eu tenho de entender os tempos atuais. Mostre-me, para que eu possa avisar o teu povo". Ele não se preocupava em ser ridicularizado. Ele estava sendo consumido pelo zelo de conhecer o coração de Deus. E abertamente confessou o seu pecado.
"Orei ao Senhor meu Deus, confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos; temos pecado e cometido iniqüidades, procedemos perversamente, e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos" (Daniel 9:4-5).
Eis outra marca de alguém segundo o coração de Deus: ele se identifica com os pecados da igreja. Esse servo chora por santidade, tanto em si próprio como no povo de Deus. Uma igreja pode convidar para reuniões de oração regularmente, mas sem pureza, a oração é absolutamente sem poder. A mensagem que Deus quer dar ao seu povo deve vir de lábios que tenham sido purificados.
Faço um desafio a todo pastor, a todo mestre, a todo leigo: ganhe desespero pelo toque de Deus. Fique em comunhão com Ele. Jejue junto com sua intercessão. E permita que o Espírito Santo examine o seu coração. Ele irá lhe expor cada uma das coisas ímpias, rebeldes e pecaminosas escondidas em você; e irá tratar consigo em relação a cada área de desobediência.
Breve, você não irá mais tolerar a hipocrisia ou as concessões em si próprio. As suas orações se transformarão em choro em favor de santidade. Aí, toda vez que você vir pecado na casa de Deus, irá clamar: "Ó, Senhor, nós pecamos contra ti". É assim que você saberá que Deus lhe tocou. Ele iniciou o trabalho divino de lhe transformar, lhe ungir novamente, e lhe preparar para uma obra maior.
Quero Compartilhar Com Você Uma Palavra Profética

Que Deus Me Deu
Você ouviu falar das Forças Especiais do exército americano. Trata-se de um exército-dentro-do-exército altamente treinado, uma unidade de elite formada por dedicados soldados. É um grupo constituído unicamente de voluntários, combatentes que foram selecionados e chamados por seus superiores. Caso desejem juntar-se ao grupo, enfrentam o mais árduo treinamento que se possa imaginar.
Antes da guerra no Afeganistão, Osama Bin Laden havia declarado que os soldados americanos eram fracos, covardes, despreparados para combates nas montanhas. Ele previu que o Taliban afugentaria as tropas americanas, expondo-as à vergonha - do mesmo jeito que havia derrotado o exército russo. Mas Bin Laden não contava com as Forças Especiais. Essa unidade valorosa invadiu o Afeganistão com apenas 2.000 soldados. Em poucos dias, havia localizado todas as fortalezas inimigas. De repente, os soldados de Bin Laden tremiam à vista destas disciplinadas forças se aproximando. Em uma questão de semanas, o Taliban foi conquistado.
Os terroristas no mundo todo agora tremem à aproximação das Forças Especiais. Sabem que mesmo uma pequena unidade pode fazer ruir toda uma nação. As Forças Especiais já chegaram às Filipinas, Indonésia e a outros países onde os terroristas treinam. Elas se tornaram o inimigo mais temido pelo terrorismo.
Eu creio que Deus esteja fazendo algo semelhante na esfera espiritual. Em oração, fui impressionado pelo Espírito Santo com uma visão extraordinária: Deus estava em ação nos céus em uma operação secreta. Ele está levantando um exército-dentro-do-exército, avaliando suas tropas regulares para formar uma unidade de elite feita de voluntários. Essa força especial é constituída de combatentes que ele pode tocar e instigar, para guerrear o inimigo. Vemos um retrato disso nas escrituras, com a milícia especial de Saul. A Bíblia diz: "E foi com ele uma tropa de homens cujos corações Deus tocara" (I Samuel 10:26).
As forças especiais de Deus de hoje incluem os jovens, os de meia idade, e até os idosos. Eles estiveram treinando em seus lugares secretos de oração. Muitos suportaram dores e sofrimentos quase além dos limites humanos. E de lá saíram limpos e purificados. A sua intimidade junto a Jesus durante todo esse período ensinou-os como lutar. Agora eles sabem como batalhar em qualquer terreno, seja nas montanhas ou nos vales.
Essas forças especiais têm conseguido muitas vitórias através da oração. E agora são temidas no inferno. Breve, por todo o mundo, especialmente nas nações muçulmanas, as forças altamente treinadas de Deus combaterão essas forças do mal. O nosso Deus não precisa exércitos com milhões de homens. Suas forças especiais são pequenas em número, mas poderosas em combate. Um membro dessa unidade, em oração, em obediência, pode pôr mil soldados inimigos em fuga. Como Deus prometeu ao pequeno e leal exército de Josué: "Ninguém vos resistiu até ao dia de hoje. Um só homem dentre vós perseguirá a mil, pois o Senhor vosso Deus é quem peleja por vós, como já vos prometeu" (Josué 23:9-10).
O nosso campo de batalha não é o Afeganistão, as Filipinas ou a Indonésia. A batalha que ocorre está na igreja. Nesse instante, Deus está soltando as suas forças especiais na sua casa. E as suas armas são oração, pureza, e uma palavra vinda diretamente do trono. Os lábios desses soldados foram tocados por brasas vivas do altar de Deus; suas línguas foram limpas de toda contaminação. E são corajosos ao expor tudo que provém da carne. São leões da oração, contudo cordeiros na humildade. E a palavra que pregam é profunda na verdade, na pureza e na integridade.
Tenho ouvido a pregação de vários soldados destas forças especiais. Alguns são jovens, tendo rapidamente descoberto a Cristo. Pregam sua palavra com ousadia, tanto na igreja como para os não salvos. Outros soldados são ministros de meia idade que se cansaram da mornidão da igreja. O Santo Espírito os tocou com o seu fogo, levantando-os com renovado zelo. Agora estão prontos para mostrar à nova geração como lutar. São homens que efetivamente combatem em seus lugares de oração, acompanhando seu capitão, Jesus. E surgem com uma palavra nova dos céus. Falam de modo amoroso, mas com autoridade. E não têm medo de mostrar ao povo os seus pecados.
Por anos, Satanás tem aterrorizado o povo de Deus. Ele destruiu grandes ministérios, pastores conhecidos, padrões santos. Mas Deus não foi surpreendido por nada disso. O tempo todo esteve treinando suas forças especiais. E está prestes a soltá-las dentro da sua igreja. Essa unidade de elite fez desmoronar a Cortina de Ferro no leste europeu. Fez cair o comunismo. E agora mesmo está derrubando a Cortina de Bambu na Ásia.
O exército-dentro-do-exército de Deus está no local correto em todas as nações. A sua atividade pode estar velada agora, mas logo o veremos realizando proezas no nome e no poder de Cristo. A palavra de Deus está chegando, a fome acabando. O Senhor vencerá. A sua palavra conquistará todos.


Copyright © 2001 by World Challenge, Lindale, Texas, USA.

DEUS ABENÇOE
CINTIA SANT' ANNA

Cia Casa de Davi

A arte a serviço do Reino. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.
- comentários com palavrões ou ofensas não serão aceitos;
- as criticas construtivas são sempre bem vindas;
- caso queira deixar o link para seu blog, fique a vontade.

Instagram