Sinceramente?

Galera, achei esse texto que eu havia escrito em cima de um estudo que tivemos com a Ir. Cristiane que ainda hoje fala muito ao meu coração. 

Desde muito cedo assumimos papeis em nossas vidas. O de filho, irmão, primo, amigo. Conforme vamos crescendo, adquirimos mais papeis: Namorado, profissional, irmão em Cristo, Pai, Mãe, líder entre outros. 
Para cada situação da vida, temos que assumir uma postura e, consequentemente, um papel diferente.

Será que os papeis que temos assumido, tem mudado quem realmente somos? 

Voltando ao inicio de tudo, lá no Éden, vemos que o homem tinha um relacionamento perfeito de amor com Deus. Ele não precisava exigir amor de Deus, por que este lhe era dado de boa vontade, (como continua sendo) e Deus não precisava pedir para que o homem o adorasse por que essa era uma ação natural dele, o amor fluía livremente. Mas por conta do pecado essa troca perfeita de amor foi quebrada. E o homem, distante de Deus, passou a mendigar pelo amor e aceitação de outras pessoas. Quase sempre anulando quem realmente são, para agradar aos outros e assim serem aceitos e amados. Não se dando conta de que, aos poucos, estão se matando. Porque o verdadeiro "eu" está lá dentro desesperado por liberdade. 

Não confundam se anular com renunciar, pois a renuncia é muito importante e geralmente quando temos que renunciar algo é por que isso atrapalha a nossa vida e o nosso relacionamento com Deus.

Analisando o texto que se encontra em 1 Samuel 16. 1-13, vemos que Deus pede a Samuel que ele vá até a casa de Jessé, em Belém, por que Ele tinha escolhido um dos filhos daquele homem para ser o Rei de Israel. De inicio, esse texto não tem nada a ver com o assunto, mas se ligue e entenda onde quero chegar!
Assim que Samuel chegou na casa de Jessé, se bateu de cara com Eliabe, e pensou logo que era ele que  deveria ser ungido, mas ele estava enganado. Deus escolheu o cara menos provável: Davi. A bíblia diz que  Davi foi um homem segundo o coração de Deus, (Atos 13:22) isso por que ele era sincero e sempre colocava todo o seu ser diante do Senhor, sem restrições. O fato de ter sido pastor de ovelhas, proporcionou a Davi o privilégio de ser ele mesmo sem se importar com o que pensariam dele. 
Os pastores sempre andavam sozinhos, por que se juntar a outros pastores faria com que os rebanhos se misturassem causando conflitos entre os donos. Já pensou se o macho de um, cruza com a fêmea do outro? De quem seria o filhote? 

Por andar sempre sozinho, Davi era quem era, sem máscaras e mesmo depois de se tornar Rei ele permaneceu sendo quem era. Ele não tava nem ai para o pensavam dele. Dançava mesmo, chorava mesmo, louvava mesmo! O que quero dizer é que Deus busca pessoas sinceras, e Ele as admira por serem quem são mesmo diante de uma sociedade que exige que sejam como o padrão. 
Se servimos a um Deus que criou pessoas singulares e as ama por suas particularidades, por que ficar implorando pelo amor das pessoas? Por que perder a sua verdadeira essência para se enquadrar no que o outro exige? 
Oremos para que os papeis e responsabilidades que assumimos não encubram quem verdadeiramente somos, que a sinceridade seja um requisito básico no nosso relacionamento com o Pai. 

é sempre um grande prazer, Tainah Cerqueira.



Cia Casa de Davi

A arte a serviço do Reino. 

Um comentário:

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.
- comentários com palavrões ou ofensas não serão aceitos;
- as criticas construtivas são sempre bem vindas;
- caso queira deixar o link para seu blog, fique a vontade.

Instagram