O amanhã vivo.


Lights - image

       Se o mundo está caótico já não é novidade. O jornal, seja o físico ou o televisivo, nos mostra isso de tal intensidade que não precisamos ir tão longe para saber do caos que está implantado no mundo. Saímos de casa desconfiadas, não só ao pegar um ônibus, não só em ficar em ruas estranhas, mas ao contar um segredo nosso, ao ser totalmente sincera, a falta de confiança está 24horas no bolso, na bolsa, revelando-se constantes no dia a dia: Será que posso contar com fulana? Será que é confiante comprar nesse site? Movimentos estranhos, será que vai me assaltar? Não podemos baixar a guarda, estamos em uma guerra intensa, a guerra da desconfiança, do "não me jogo nunca, pois ninguém irá me segurar", ou como escutei esses dias "nada melhor virá.." ou como escutei muitas vezes e assim acreditei "ninguém poderá nos salvar." .
    Por muito tempo me alimentei dessa crença, a crença do Renato Russo, se houver alguém pra confiar, vou confiar em mim. No entanto o caos está a solta, e quando possível ele invade-me também, com toda a sua garra e força, o sentir-se perdida se torna algo normal em mim, e o caos está instalado, e eu vejo que nem em mim posso confiar, não sou inabalável. E posso desconfiar agora de mim mesma, e não consigo mais organizar os meus pensamentos, e pareço que nem eu mesma mais me comando: Shius, Nicole! Para de pensar nisso! Comporte-se! É em vão, nada funciona. E eu poderia agora cantar Sublime de Leonardo Gonçalves e dizer que quero um lugar de calmaria, paz, um lugar eterno, longe dessas coisas aqui... Mas descubro que para a paz me alcançar devo antes me render, devo me deleitar em suas palavras, devo descobrir a quem devo confiar, devo encontrar Alguém para chamar de porto seguro, alguém que seja cais e inabalável.
    Hoje nas quartas de cinzas, quando toda a folia acaba, quando o trabalho aproxima-se para sufocarmo nos mais uma vez, com aquela velha rotina, quando parece que a felicidade está chegando ao fim, e o jornal vai voltar a programação caótica mais uma vez - com guerras, mortes, gente desumana, crises políticas- : há um bifurcação na estrada, uma segunda opção, uma rendição que traz paz é um amanhã vivo para ser vivido. 
      Há um novo amanhecer cheio de misericórdia e descobertas para os os que creem. Há alguém de soberania total, a quem posso clamar neste caos, e ao render-me tenho paz, pois este alguém nunca perdeu o controle sobre as coisas. Ele é um porto seguro, um cais, um refúgio no meio desta confusão que eu mesma compus, e quando penso que já está tudo por um fio... A sua especificidade é manifestada: há um transformação milagrosa e transbordante, há um amanhecer para aqueles que confiam em Deus, onde morte vira vida, e assim entendo sempre há um amanhecer para aqueles que creem em Deus, até o fim, na eternidade. 


"Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti."



Tenha uma bom (quase) fim de semana! Rs

Nicole Antunes

2 comentários:

  1. "..... e compreendo que o eterno lar, começa no momento em que vivo para te encontrar"

    ResponderExcluir
  2. Me rendo a Ti...

    ResponderExcluir

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.
- comentários com palavrões ou ofensas não serão aceitos;
- as criticas construtivas são sempre bem vindas;
- caso queira deixar o link para seu blog, fique a vontade.

Instagram